Dedetização em condomínios: tudo o que você precisa saber

            É de conhecimento de todos que a primavera e o verão são as estações do ano com maior proliferação de pragas e insetos. Porém, uma boa gestão condominial se preocupa com dedetização o ano inteiro. A dedetização em condomínios é uma pauta importantíssima e cobrada pelos moradores. Ninguém quer chegar em casa ou aproveitar a área de lazer do prédio e dar de cara com ratos ou baratas, certo? Por isso, a preocupação deve ser constante, visto que esses invasores procriam e incomodam em todos os meses do ano.

Este artigo vai se dedicar ao tema e a ensinar tudo o que você precisa saber para manter sua administração longe desses intrusos. Que tal começar sabendo mais sobre quando fazer a dedetização em condomínios?

Quando deve ser feito o controle de pragas

            Especialistas recomendam que a dedetização seja feita pelo menos a cada seis meses. Esse é o mínimo indicado, porém é preciso levar em consideração algumas variáveis antes de decidir o período de tempo entre um controle e outro. Entre elas estão:

– Tamanho da área verde e proximidade com matas, campos e florestas;

– Variedade de itens da área de lazer;

– Proximidade do condomínio de córregos, depósitos de detritos ou fontes de pragas;

– Localização do prédio e sazonalidades da região onde fica instalado.

            Um bom síndico sempre deve estar de olho no seu condomínio e conhecer bem suas características para prevenir infestações.

Como contratar uma dedetizadora

             Além, é claro, de levar em consideração o preço cobrado pelo serviço, pesar o custo-benefício oferecido e as finanças do condomínio, é fundamental que você, como síndico, saiba as necessidades do prédio que gerencia e tenha bons contatos de prestadores de serviço. Contar apenas com uma opção nem sempre é o melhor caminho. Pesquise bem antes de ficar amarrado a um prestador.

Ter um contrato recorrente é uma boa opção, pois pode ajudar a baratear os custos. Geralmente, quando a prestação do serviço é acertada por um período anual, é possível pagar até 30% menos, do que fazer a contratação apenas em um período ou época do ano. Por isso, a pesquisa é fundamental. Aliar controle de pragas o ano todo e economia valem muito a pena. Fique atento, antes de escolher, se a empresa que cogita contratar segue os seguintes requisitos:

  1. Licença de funcionamento da Vigilância Sanitária;
  1. Existência de um responsável técnico, que precisa ser Biólogo, Engenheiro Agrônomo, Engenheiro Florestal, Médico Veterinário, Químico ou Farmacêutico;
  1. Cadastro no Conselho da atividade do responsável técnico;
  1. Possuir CNPJ e sede próprios;
  1. Levar a sustentabilidade em consideração, visto que a legislação pede que as embalagens dos pesticidas sejam descartadas corretamente, retornando ao fabricante, para evitar a contaminação de lençóis pluviais e do solo.

É importante que você lembre que antes de acertar com a dedetizadora será necessário colocar a pauta para votação em assembleia. Como as finanças do condomínio estão envolvidas, é preciso que os moradores validem o processo de contratação. O síndico é responsável pelas áreas comuns e sociais do condomínio e, portanto, deve zelar por esses espaços e seguir as regras da convenção para validar e acompanhar qualquer serviço, após a sua aprovação.

Serviço escolhido: hora de dedetizar

            O primeiro passo após a contratação da dedetizadora ter sido aprovada em assembleia é marcar uma visita técnica. Nesse encontro, você poderá orientar a empresa sobre o funcionamento e peculiaridades do condomínio que administra. Juntos, vocês irão determinar melhores dias, horários e os locais e formas como os pesticidas serão aplicados. No caso de baratas, por exemplo, pode ser em gel ou pulverizado. Para ratos, geralmente se usam portas-iscas.

A empresa deve fornecer todas as opções e informações para você escolher o melhor para os moradores. Além de fornecer os produtos e informações sobre eles, ela deve informar a gestão condominial sobre a necessidade de isolar as áreas dedetizadas, assim como, o período em que precisam ficar fechadas. Cabe a empresa também levar os equipamentos de proteção necessários para que o serviço seja feito.

Agora é com você

            Depois que o primeiro controle de pragas for finalizado cabe a você avaliar a qualidade do serviço e cobrar qualquer coisa que tenha saído errado, faltado ou fora do previsto. Não esqueça de agendar o retorno para nova dedetização e prestar contas para os condôminos. Coloque em prática o que aprendeu aqui e boa gestão! Até a próxima!

União Social Administração de Condomínios

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado, fique tranquilo.